domingo, 4 de abril de 2010

O fim de uma história que nem teve um começo digno.

O que eu iria dizer pra ele? Não fazia ideia. Mas ele continuava insistindo em ler o meu diário,e, eu só tinha duas opções péssimas. Ou mostrava a ele e ele descobria tudo que eu sinto,ou, simplesmente não deixava ele ler e nossa amizade nunca fortaleceria.
  Realmente, não sabia o que fazer, falar ou pensar. A vontade que eu tinha era a de dizer tudo que eu sentia e acabar de uma vez por todas com aquelas duvidas que me sufocavam.
 Os dias passavam e ele continuava insistindo. Eu já não aguentava mais ter que guardar esse segredo. Logo pra ele, que era tão especial pra mim.
  Até que um dia eu tive uma ideia. Parecia a melhor das ideias. Eu tinha certeza que tudo ficaria resolvido quando eu a colocasse em prática. Mas o que não imaginava era que não iria dar tão certo como eu previra.
 Eu tinha decidido explicar pra ele o motivo pelo qual eu não deixava ele ler o meu diário. Esperei a hora da saída. Era o único momento em que ficávamos sozinhos.
 - Não vai deixar mesmo eu ler seu diário? - Não demorou pra ele perguntar.
 - Não, não vou. Mas eu vou te explicar.
 - Explicar o que? - Me perguntou, confuso.
 - É porque, a agenda toda, fala somente de uma pessoa...
 - Quem?
 - É um garoto, na verdade. Um garoto que eu, acidentalmente me apaixonei.
 - E quem é?
 - É exatamente por isso que eu não deixo você ler. Não vale a pena. Eu não quero aceitar isso e, se você souber por mim, pode parecer estranho, mas é como se eu estivesse aceitando essa paixão impossível.
 - Mas porque você teme tanto em aceitar que está apaixonada?
 Ele me fazia perguntas que eu não sabia se podia ou não responder.
 - Porque esse garoto não gosta de mim como eu gosto dele. E eu sei que, se um dia eu for correspondida, nosso amor nunca vai dar certo, porque nós somos completamente diferentes.
 - Acho que eu sei quem é.
 Quando ele falou isso, meu coração disparou. Eu temia que ele soubesse, mas no fundo, era isso que eu queria. Se ele soubesse mesmo, acabariam todas as duvidas.
 - Sabe? - Perguntei nervosa.
 - Sei, e acho que você tem razão. Nunca vai dar certo. Sinto dizer isso, mas eu não gosto de você e nem pretendo gostar.
 No mesmo instante, parecia que o mundo havia caído sobre a minha cabeça, eu não sentia meus pés no chão.
 E eu senti que ele ficou mal por mim.
 - Desculpa.
 Foi a única coisa que ele me disse antes de desaparecer entre a multidão apressada.


..............................................................................................................................................................

Esse texto me entrega total. Mas avisando que eu já consegui me livrar desse estranho sentimento. Acho que foi só mais uma confusão da minha mente. E, caso um dia ele ler isso aqui, peço para não se assustar. Esse sentimento não existe mais e eu nem sei se, um dia ele existiu realmente.
 Exigiu um pouco de coragem da minha parte. Não é fácil você colocar um texto que não tem como negar, para as pessoas que te conhecem, o que está acontecendo. Mas ele ficou tão legal que, eu não poderia deixar de dividir ele com vocês :D

ps: Lembrando que eu adoro comentários.

4 comentários:

Lys Fernanda disse...

Aah eu adorei, confeso que o final me decepcionou, mas a realidade nao é bem o que desejamos, mas nao deixa de ser muito bonito.

Comecei a postar as minhas historias, vai la na meu blog e diz o que acha amr, meus beijoos ♥

Mandinha. disse...

eu leio SEMPRE seu blog Lys,mas, minha net não é uma das melhores. Nem sempre eu consigo comentar. Mas eu prometo tentar.

ps: a realidade nem sempre é como desejamos msm =/

cam!la disse...

Gostei daqui...ganhou mais um comentário e de brinde uma seguidora.bj

Raymara Oliveira disse...

ps: a realidade nem sempre é como desejamos msm =/
[2]

mais uma seguidora *-*
feliz páscoa.

beijos