sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Quando menos se espera. [CONTINUAÇÃO]

Meus pés pareciam não tocar o chão, eu sentia a minha cabeça leve e as lágrimas caiam sem que eu pudesse controlar. Fiquei ali, paralisada encarando os dois, não conseguia dar um passo a frente. Ele me olhava com expressão de dor, de como se não soubesse o que fazer, mas eu sabia que a culpa não era dele, o amor acontece e a gente não podia escolher por quem.
 Entrei novamente no colégio, dessa vez chorando e procurando um lugar que pudesse me esconder, me esconder das pessoas, do mundo. Mas acabei sentando um dos bancos e ali fiquei, por um tempo que não consegui calcular. Pensei porque isso estava acontecendo comigo, porque as pessoas tinham sempre um final feliz e o meu era sempre triste.
 Estava de cabeça baixa quando senti que alguém acariciava timidamente o meu cabelo, aquilo estava me confortando, nem me importei em olhar quem era.  Mas não demorou em essa pessoa sentar ao meu lado e perguntar o que havia acontecido. Logo vi que era o Pedro, um garoto do 1º ano que nunca havia falado antes.
- O que aconteceu? – ele perguntou.
- Sabe quando você faz mil planos para algo acontecer, planeja minuciosamente cada fato, e no dia, tem a plena certeza de que isso vai dar certo e você acaba descobrindo, da pior forma que isso não passou de uma ilusão?
- Te entendo. Por muito tempo eu pensei em como contar a uma garota que estava apaixonado por ela, ensaiei mil falas em frente ao espelho, planejei cada fato e nunca dava certo. Sempre achava que ela iria me ignorar, rir de mim. Mas quando eu menos espero, encontro ela numa festa, no ultimo dia, e me vejo consolando-a. Interessante não?
Eu não sabia o que dizer, fiquei parada, olhando assustada pra ele. Então continuou.
- E agora eu vou tentar, com certeza em vão uma chance com essa garota.
 Aproximou-se, devagar de mim, como se esperasse que eu o empurrasse para longe e inventasse qualquer desculpa esfarrapada para não deixar aquele momento acontecer, mas ele havia despertado em mim uma pessoa que até a poucos minutos não existia, uma pessoa espontânea, que não baseia sua felicidade em uma só coisa. Ele me fez perceber que quando não planejamos, as coisas acontecem de forma muito mais interessante.

PS: espero que gostem e que comentem, eu ainda preciso saber que alguem lê o meu blog :D

3 comentários:

@juzets disse...

adorei aqui tambem , beijos

Ray Silva disse...

Qe lindo amg *-*

Sabrina O. disse...

õoow :*, quee lindo. beeijos